30.1.08

Santarém: Gafanhoto activa socorro / Cartaxo: Tigres à solta

Os Bombeiros Municipais de Santarém foram chamados ontem a uma habitação da cidade para retirar um gafanhoto do respiradouro de uma casa de banho.

Os moradores ficaram assustados com o ruído causado pelo insecto e como não sabiam de que animal se tratava pediram ajuda aos bombeiros. Segundo um elemento da corporação, as pessoas ganharam medo ao verem as pequenas patas do insecto e ouvir o barulho que fazia para tentar libertar-se.

Os soldados da paz limitaram-se a retirar a tampa do respiradouro e a devolver o gafanhoto à liberdade. Nas operações da insólita ocorrência estiveram envolvidos quatro bombeiros e uma viatura.

In - Correio da Manhã - 30 Janeiro 2008

Pena que não refiram o tempo despendido por esta equipa e a dimensão do ruído produzido pelo gafanhoto. Se fosse uma das novas equipas de reportagem multidisciplinares, levariam câmaras de televisão e gravadores de som para registar o momento único.

E quem elaborou esta noticia (com direito à contra capa da edição impressa do referido jornal) nem imaginava que por estas bandas, durante a manhã de hoje andariam dois tigres a passear.

Tigres do circo Chen. Será que as autoridades chamadas a intervir, i. e. a GNR, foram de tangas de licra e camisola justa de berloques e dourados? Para não assustarem ainda mais os tigres, claro.

Assim ainda desisto de fazer tantos kms diários para vir trabalhar. Esta zona do país está perigosa. Muito perigosa.

Segue a noticia sobre os tigres da edição on-line do Publico

Tigre fêmea ainda por capturar

Azambuja: Dono do circo Chen diz que jaula dos tigres que fugiram esta manhã foi aberta de propósito - 30.01.2008 - Lusa

O dono do circo Chen, Miguel Chen, afirmou hoje que os dois tigres que andaram à solta hoje de manhã na Azambuja fugiram por que a jaula foi aberta e quem a abriu, "sabia o que estava a fazer" e "sabia que os animais estavam lá dentro". Um dos animais, a fêmea, está muito agitada, refugiou-se numa zona inacessível e continua por capturar.

Miguel Chen explicava à Agência Lusa o sucedido hoje ao princípio da manhã na zona da Azambuja, a cerca de 40 quilómetros a norte de Lisboa, quando dois tigres do seu circo saíram da jaula onde se encontravam.

"O nosso carro avariou ontem à noite, terça-feira, foi rebocado, mas a jaula teve de ficar no local. A pessoa que ficou a guardar os animais foi hoje de madrugada ao Cartaxo buscar água para lhes dar e quando regressou as portas estavam abertas, atadas com uma corda, e os dois tigres desaparecidos", afirmou Miguel Chen à Agência Lusa.

De acordo com o dono do circo Chen, a jaula tem seis portas laterais e uma traseira, todas de "guilhotina para os tigres não conseguirem sair".

"As portas estavam todas abertas e uma estava presa com uma corda. Quem fez isso é alguém que sabe, até porque não é qualquer pessoa que vai mexer em animais destes", acusou.

Para reforçar as suas suspeitas, Miguel Chen sublinhou que a parte de fora da jaula está coberta com publicidade e que, por isso, os tigres não são visíveis do exterior.

O dono do circo garantiu ainda que os animais são pacíficos, comprovando esta afirmação com o facto de o primeiro tigre - um macho - ter sido "apanhado à mão".

"O aparato é que está a enervar a tigre" fêmea, de três anos, que continua por capturar, adiantou.

Há cerca de três horas que duas dezenas de militares da GNR e elementos do circo Chen estão a tentar capturar um dos dois tigres que hoje de manhã fugiram da jaula, na zona da Azambuja.

A GNR montou um perímetro de segurança de cerca de 300 metros em torno do local onde se encontra encurralado o animal que falta capturar, junto à estrada Nacional 3, que liga o Cartaxo à Azambuja, para manter afastados os populares que têm parado em grande número motivados pela curiosidade.

O primeiro animal foi capturado cerca das 8h00 e o segundo, uma fêmea que está agitada, encontra-se num local inacessível.

A GNR já anunciou que vai abrir um inquérito à fuga dos dois tigres e que pediu apoio ao Instituto de Conservação da Natureza (ICNB) para sedar o animal que falta capturar.


Mensagem actualizada.

1 comentário:

Jorge Monteiro disse...

É o verdadeiro triunfo do do fungagá da bicharada!

Quanto à risível e absurda desproporcionaldade de meios técnios e humanos, parece saída da pena do grande romancista (humorista) britânico, Tom Sharpe.

Para quem não conhece as peripécias do incrível Wilt, e outras delirantes personages, pérolas do nonsense e do surrealismo britânico, recomendo vivamente...

Está quase tudo editado entre nós, pela Presença Editora, e garante umas boas, mesmo que solitárias, gargalhadas!